quarta-feira, 13 de junho de 2007

3º dia:

Acordamos com calor e a pilha do nosso super ventilador falou: Chega! E lá se foi nosso ventinho. Como já era umas 9:30, levantamos e começamos a desmontar nossa linda casa móvel. Antes, tiramos uma fotinho dela com o número da nossa barraca no camping.
Pra começar a seção do dia sobre o tema do blog. Esvaziar o colchão.... a válvula que enche não é, definitivamente, a mesma pra esvaziar.... ficamos um bom tempo pra descobrir isso (LEIA SEMPRE O MANUAL ANTES DE QUALQUER COISA!). Quase desistindo de tirar todo o ar de lá de dentro, que não tinha saído quase nada em 5 minutos pulando no colchão sem a tampa do fole.... falamos: Não é possível! Finalmente O Manual.... bastava procurar uma tampa amarela do outro lado e embaixo do colchão... e pronto! Abrimos o maior sorriso do mundo, suando que nem loucos, mas felizes por pensar que existem designers, engenheiros, etc que pensam na gente. Esvaziou muuuuuuuuito rápido. Menos de 3 minutos.
A melhor coisa que fizemos sem querer, lógico, foi que quando montamos a barraca, em vez da lona que não tivemos tempo pra comprar, levamos jornal... essa foi a melhor coisa porque simplesmente, depois de desmontar a barraca, não precisamos lavar nada! Ela continuou limpa por dentro e por fora! E o jornal foi pro lixo.... se fosse lona, teríamos que lavá-la. Que idéia mirabolante pra um casal extremamente preguiçoso e trapalhão!
Depois de desmontá-la, tomamos nosso café-da-manhã (o patê do dia anterior estragou, mas serviu para teste de não levá-lo mais) e fomos aproveitar o dia em Búzios.... lindas praias... sem comentários. Pena que o camping de lá está fechado até dezembro... E lá é um excelênte lugar para se levar comida pro acampamento... que cidade cara!!!
Saindo da praia da Tartaruga, fomos procurar a praia João Fernandes, num caminho de paralelepípedo, perdidos, descendo uma ladeira, eis que surge um fora do lugar. Atrapalhado pensou: vou passar por cima dele que dá. Ouve-se o maior barulho do mundo. A pedra era enorme e mais alta do que o fundo do carro... em sequência (senão não tem graça), xingando o maldito paralelepípedo, Atrapalhado segue em frente e o motorista da Kombi, que vem em nossa direção, grita com cara de mau: CONTRA MÃO! Tudo isso em menos de 30 segundos.
Felizmente, chegamos vivos na praia, descansamos um pouco da super-aventura e voltamos pra nossa cidade felizes da vida e certo de que milhões de atrapalhadas ainda virão.

Próxima parada: Teresópolis.

2 comentários:

Alexandre disse...

Putz! Acho que a pior coisa que pode acontecer num camping é a comida estragar!
heheheh...
Esses benditos colchões infláveis deveriam vir com um botão tipo "Liga/Desliga", pra que não desse entrvero na hora da "enchida" e na "esvasiada"!

Grande Abraço pra Dupla Atrapalhada!

Ps. Paralelepípedo solto na estrada é quase sinônimo de estrago!!!

Lauro disse...

Carol, o blog lá já está atualizado, uma hitoria muito interessante que aconteceu num acampamento ! heheheh Ah! quero umas dicas do camping lá de Terê, tô a dim de conhecer lá. Essas aventuras de vocês são D+! Várias risadas aqui! Grande abraço aos dois!